Stopover, a nova febre dos viajantes

Escolher um trecho aéreo com conexão deixou de ser um transtorno na viagem. Pelo contrário: é uma ótima ideia aproveitar a parada para explorar novas cidades. Tudo isso graças a um programa chamado stopover, que já existe há algum tempo em várias companhias aéreas, mas que ganhou os holofotes em 2017 e promete manter-se em alta este ano de 2018.

Funciona assim: você tem a opção de fazer uma parada voluntária de mais de 24 horas em um aeroporto no país de origem da companhia aérea, antes de embarcar para o destino final. A grande vantagem está no fato de poder conhecer uma ou mais cidades pagando o mesmo valor de um voo comum.  O tempo de conexão pode variar de um a cinco dias, dependendo da companhia.

Por exemplo: você vai para Paris, na França, mas tem interesse também por Lisboa, em Portugal. Com o stopover, é possível sair do Brasil com um bilhete aéreo para a capital francesa, já prevendo uma parada longa em Lisboa. Assim, você passa uma ou mais noites na capital portuguesa e depois retorna ao aeroporto para seguir viagem. Há hotéis parceiros do programa que oferecem descontos nas diárias, também.

Por onde começar?

No site da companhia aérea, simule o voo desejado e escolha o item stopover para acrescentar a parada. A opção pode estar descrita como multi-city, múltiplos destinos ou múltiplas cidades. O procedimento é o mesmo nas agências de viagens virtuais, e você pode fazer a mesma coisa em uma agência tradicional.

O stopover é um serviço sem custo adicional, ou seja, caso o trecho escolhido tenha ficado mais caro do que o voo tradicional, verifique se as regras do programa estão sendo respeitadas, como disponibilidade de assentos no período escolhido, tempo de permanência no destino intermediário, classe tarifária, número de conexões etc. O único valor adicional que pode ser acrescentado ao bilhete stopover é referente à taxa aeroportuária do local onde será realizada a parada. Fique de olho!

Você pode usar milhas!

Vários programas de milhagens aceitam o stopover. Esta informação, porém, nem sempre está disponível de forma clara ou com fácil acesso nos sites de reservas. O mais indicado é entrar em contato pela central de atendimento da companhia para fechar o negócio. Como não há padronização na utilização dos pontos ou milhas, informe-se sobre as regras e políticas de utilização para não ter surpresas desagradáveis no balcão de embarque.

Muitas combinações!

Com a total adesão das companhias aéreas ao programa (e as centenas de acordos que existem entre elas), fazer combinações de rotas é fácil e empolgante. É possível, por exemplo, viajar para os Estados Unidos e fazer uma parada no Panamá; voar até a Espanha antes de curtir a Holanda; fazer uma parada estratégia na França e seguir para o Reino Unido. Opções não faltam. Para facilitar a busca, reunimos abaixo uma lista com as principais companhias aéreas internacionais que atuam com stopover e quais seriam as paradas previstas no programa.

Aerolíneas Argentinas (Buenos Aires) / Aeroméxico (Cidade do México) / Alitalia (Roma) / Air Canada (Toronto) / Air China (Beijing ou Xangai) / Air  France (Paris) / American  Airlines (Miami, Nova York, Dallas ou Los Angeles) / Avianca (Bogotá) / British  Airways (Londres) / Copa Airlines (Panamá) / Delta Airlines (Detroit ou Nova York) / Emirates (Dubai) / Etihad  Airways (Abu Dhabi) / Ethiopian  Airlines (Adis Abeba) /  Iberia (Madrid) / Icelandair (Reykjavík) / Japan  Airlines (Tóquio ou Osaka) / KLM (Amsterdã) / LATAM (Santiago, Assunção, Montevidéu, Rosário, Córdoba, Buenos Aires, Bogotá ou Lima) / Qantas (Sidney) / Qatar Airways (Doha) / Royal  Air  Maroc (Casablanca) / Singapore  Airlines (Cingapura) / South  African  Airways (Johanesburgo) / Swiss (Zurique) / TAP (Porto ou Lisboa) / Turkish  Airlines (Istambul) / United  Airlines (Nova York, Washington, Chicago ou Houston).

Dicas extras são sempre bem vindas…

  1. Faça um bom planejamento: defina o orçamento de viagem, traçar o passo a passo do roteiro, pontos de interesse, tempo necessário nas atrações e quais serviços de viagem serão utilizados (hotel, transporte, passeios, câmbio…)
  2. Se você já comprou a passagem: não se desespere, pois é possível alterar a modalidade do bilhete para o stopover, caso queira, mas há uma taxa adicional cobrada pela companhia aérea.
  3. Bagagem: Tenha em mente que a mala terá de ser retirada na parada e que você estará com ela até retornar ao aeroporto, ou seja, nada de exageros. Uma boa ideia é fazer duas malas, uma para a parada e a outra para o destino final.
  4. Cumprir o itinerário: cuidado ao mudar os planos. Se você quiser ficar no mais tempo no destino de conexão, saiba que abandonar o voo acarreta em cancelamento do bilhete. Ou seja, sua volta estará comprometida.

Fonte: Renê Castro, Colaboração para o site UOL, 16/01/2018.

 

2018-01-16T10:40:10+00:00Categories: blog|0 Comments
WhatsApp Converse pelo WhatsApp